Crónicas de uma Leitora: Sangue Fresco - Opinião

quarta-feira, 4 de abril de 2012

Sangue Fresco - Opinião

Acabei de ler ontem o primeiro livro da saga. Foi refrescante tendo em conta a primeira temporada da série. Para quem não conhece a série nem os livros, e suponho que seja pouca gente, Sangue Fresco retrata a história de Sookie Stackhouse, uma empregada de bar conhecida na sua cidade natal de Bon Temps como sendo estranha e maluca. Sookie guarda um segredo que pouquíssimas pessoas conhecem, é telepata.
Dois anos antes de começar a nossa história um evento marcou a humanidade para sempre, os vampiros saíram "dos caixões" e afirmaram-se no mundo, querendo direitos e estatutos iguais às pessoas. Desde essa altura Sookie aguarda que chegue ao bar o primeiro vampiro apesar de não estarem fornecidos com a nova bebida de sangue sintético, inventado pelos japoneses e que proporcionou liberdade social aos vampiros.
Quando Bill chega à cidade, Sookie não deixa de sentir alivio pela presença do não-vivo. É que perto dele só há silêncio, não tem que bloquear a toda a hora os seus pensamentos, contudo ao salvar-lhe a vida de dois humanos que queriam drená-lo para vender o seu sangue que é a nova droga do momento, criam um laço que vai ficando cada vez mais forte com o tempo.
Entretanto duas mulheres que tinham estado envolvidas com vampiros aparecem mortas em casa deixando a cidade em grande consternação, o principal suspeito infelizmente é o irmão mais velho de Sookie que tendo uma vida sexual muito activa tinha estado recentemente com ambas as mulheres. Mais tarde, também a avó de Sookie e Jason aparece assassinada em casa. A nossa heroína com a ajuda de Bill tenta descobrir o que se passa através da sua telepatia e dos conhecimentos dele, envolvendo-se cada vez mais a nível emocional.
A história central é igual à série mas vemos algumas mudanças, aqui não aparece Tara a melhor amiga de Sookie e prima de Lafayette o cozinheiro do Merlotte's, o bar onde trabalha Sookie. Enfim notam-se algumas diferenças no meio de tantas semelhanças mas sinceramente além de não me ter feito diferença nenhuma até gostei do facto das cenas de sexo serem bastante mais reduzidas.
Devo ser sincera comparando as personagens da série com as do livro, imagino um Bill muito mais bonito que o actor que protagoniza a série até porque no livro terá cerca de 30 anos e Stephen Moyer (o actor) tem 42 e aparenta a idade que tem, além de não lhe achar beleza ou sex apeal nenhum. Já Anna Paquin tem para mim o perfil certo para a personagem que interpreta e consegui visualizá-la em todas as cenas que li.

Entretanto não arranjei o segundo livro da saga e acabei por ler o terceiro livro de rajada no fim de semana pelo que vos trarei brevemente a minha opinião sobre ele.

Sem comentários:

Enviar um comentário