Crónicas de uma Leitora: [Crónicas da Isabel] "Um Toque de Perversão", de Jennifer Haymore - Opinião

sexta-feira, 27 de julho de 2012

[Crónicas da Isabel] "Um Toque de Perversão", de Jennifer Haymore - Opinião

  
                                              Autora: Jennifer Haymore
                                           Edição/reimpressão: Março de 2011
                                             Páginas: 358
                                             Editor: Planeta Manuscrito
Sinopse:
   Sophie, a duquesa de Calton, recomeçou por fim a viver. Após sete anos de luto pela perda do marido, Garrett, em Waterloo, casou com o melhor amigo e herdeiro, Tristan. Sophie entrega-se-lhe de corpo e alma até ao dia em que o marido regressa do continente e exige o seu título, as suas terras... e a mulher.
Agora, Sophie tem de escolher entre o primeiro e o novo amor, sabendo que, seja qual for a sua opção, esta destruirá um dos homens que adora.
Será Garrett, o seu namorado de infância, cuja perda a ia aniquilando? Ou será Tristan, o amigo querido que se tornou amante, que a apoiou nos últimos anos de luto e que lhe deu a conhecer uma paixão que ela ignorava? Enquanto os dois maridos lutam pelo seu coração, Sophie vê-se envolvida num jogo perigoso - onde as apostas não são só o amor... mas a vida e a morte.
Opinião:
Um toque de perversão, (com o título original - A Hint of Wicked) é um romance histórico, cuja acção decorre em Inglaterra no Século XIX, na sequência da Batalha de Waterloo.
Garrett, o Duque de Calton, é dado como desparecido na referida batalha, e durante sete anos, a Duquesa Sophie e o primo do Duque - Lorde Tristan Westcliff - envidam todos os recursos ao seu dispor para o procurarem, mas sem sucesso.

   Entretanto, o destino prega uma cruel partida a este trio aristocrático, e o Duque de Calton regressa passados sete longos anos, vivo, e disposto a retomar a sua vida de volta, assim como o amor de Sophie, a qual entretanto, reconstruira a sua vida junto de Tristan, o qual assumira a administração das propriedades do Duque.
   Sophie vê-se então dividida entre dois amores, e surge ao longo do livro a questão sempre latente: pode Sophie amar ambos os homens? Como irá ela tomar a mais importante e dolorosa decisão de toda a sua vida? Como se explica o misterioso desaparecimento do Duque de Calton, durante longos anos e tendo sido arduamente procurado pela família que tanto o estimava? Estes são alguns dos dilemas colocados durante a narrativa.
   A autora traça um retrato fiel da sociedade Inglesa do Século XIX, com o seu puritanismo por vezes exacerbado, as convenções sociais levadas ao extremo, e uma justiça que compactua com esta visão deveras limitada da moralidade vigente.
   Em simultâneo, a autora soube habilmente inserir na obra um toque de sensualidade, em especial, descrevendo de forma explícita, porém elegante, os envolvimentos sexuais que as personagens vão tendo, mas onde o sexo surge envolvido num indiscutível turbilhão emocional, e por isso em nada choca o leitor este aspecto da obra.
   No último terço da obra, e à medida que vamos descobrindo as respostas, surge também um momento de acção, com a perseguição a um crimonoso desevolvida por algumas das personagens, o que, a nosso ver confere à obra, um carácter de originalidade e também bastante dinamismo.
   Em suma, uma leitura que recomendamos aos amantes do romance histórico e/ou sensual, e ficamos na expectativa de descobrir a sequela "Um toque de escândalo".
Por: Isabel Alexandra Almeida

2 comentários:

  1. Gostava muito de ler este livro, tenho muita curiosidade!

    ResponderEliminar
  2. Eu também tenho muito curiosidade, com este livro, já li criticas muito boas.

    Boas Leituras,
    http://paginassoltas-cc.blogspot.pt

    ResponderEliminar