Crónicas de uma Leitora: Os Segredos dos Outros de Louise Candlish - Opinião

quarta-feira, 29 de agosto de 2012

Os Segredos dos Outros de Louise Candlish - Opinião

Autora: Louise Candlish
Edição/reimpressão: 2012
Páginas: 384
Editor: Livraria Civilização Editora

Sinopse:
Ginny e Adam Trustlove chegam de férias a Itália, destruídos por uma tragédia pessoal.
Duas semanas numa casa na margem do tranquilo lago de Orta é exatamente aquilo de que precisam para restaurarem a sua fé na vida - e um no outro.
Vinte e quatro horas mais tarde, o silêncio é interrompido. A família Sale chega à casa principal da propriedade: Marty, um homem bem-sucedido, Bea, a sua bela esposa, e a sua prole privilegiada e confiante. Não demora muito até Ginny e Adam serem atraídos para o círculo, especialmente quando a filha adolescente, Pippi, traz um novo amigo. Porque há qualquer coisa em Zach que deixa toda a gente imediatamente encantada, qualquer coisa que liberta antigos segredos - e cria segredos novos e chocantes. E contudo, nenhum deles suspeita que a chegada de Zach às suas vidas possa ser tudo menos uma coincidência…


Opinião:
Tive a oportunidade de ler este livro com o apoio da Civilização Editora, o qual agradeço imenso pois tem uma história interessante.
Começamos por conhecer Ginny e Adam Trustlove um casal com um drama enorme. Ela com trinta e tantos anos e ele com mais de quarenta perderam um filho, um bebé com apenas 8 dias nascido três meses antes com uma grave doença cardiaca, e estão a viver numa enorme amargura, com Adam a fazer de tudo para tentar melhorar a situação depressiva da esposa. A passar férias numa pequena casa de barcos pertencente a um palacete em breve percebem que este afinal deixará de estar vazio pois é ocupado 24 horas depois por um casal de meia idade (Marty e Bea Sale) e os seus três filhos (Dom, Esther e Pippi). Esta familia rica e cheia de glamour vai mostrar que também tem os seus problemas.
No desenrolar do livro vamos descobrindo pequenos segredos das personagens ou vendo novos segredos a surgirem com as situações que se apresentam.
Começa a haver uma certa amizade entre os casais e Ginny e Adam começam a frequentar o palacete saindo assim de umas férias rotineiras. As actividades promovidas pelo casal Sale têm de facto um efeito benéfico em Adam e com o tempo até Ginny começa ter algum interesse em fazer algo mais que contemplar a água do lago. Entretanto a juntar-se às duas familia chega também de Inglaterra Zach um rapaz que trava rapidamente amizade com Pippi e começa a frequentar a casa de férias dos Sale.
Ao longo do livro temos vários apontamentos dramáticos que são as recordações de Ginny sobre os fatídicos dias entre descobrir a doença do filho e a sua morte, são com certeza o mais penoso em todo o livro, ver o sofrimento desta mãe. (Um aparte bastante pessoal, a história de Ginny e Adam chocou-me imenso porque tenho um bebé com 3 meses e mais que uma vez tive vontade de chorar com o sofrimento deles perante esta situação aterradora para qualquer casal).
Temos também as lembranças de Bea Sale da sua vida, de como começaram o seu império sem nada e conseguiram vencer mas tendo de suportar as traições constantes do marido.
As personagens mais destacadas ao longo do livro são o casal Trustlove, Bea, Pippy e Zach, sendo que as outras quase podiam nem ter estado presentes nestas férias, gostei imenso de ver o desenvolvimento de Ginny ao longo de toda a história. Dom e Marty têm mais impacto no final quando se descobre o que atormenta o filho dos Sale. Esther é uma personagem completamente apagada que não vem trazer qualquer dinâmica à história. O maior segredo de todos é o que Zach revela e confesso que nunca esperei tal coisa, foi de facto surpreendente e fez com que o final compensasse algumas partes mais aborrecidas do livro que tem um desenvolvimento lento e bastante descritivo. Os dramas familiares não são incomuns e facilmente nos podemos identificar com uma ou outra personagem.
No geral gostei deste livro e apesar de não o achar inesquecível foi uma excelente maneira de voltar a ler romances.

Sem comentários:

Enviar um comentário