Crónicas de uma Leitora: 2015

quinta-feira, 31 de dezembro de 2015

Mangas&Anime | Tokyo Ghoul | Opinião

Sem comentários:
Parece que após dois anos Tokyo Ghoul chegou ao fim *com um final que não entendi bem o que implica* por isso deduzo que irá haver uma segunda parte *por favor que haja*
Eu ando com uma preguiça enorme por isso vou escrever uma opinião dos 14 volumes *como faço normalmente* Enfim…
Tokyo Ghoul é um dos poucos mangas que me faz ficar totalmente viciada na história, pelas personagens, pela história em si e pelo traço. Para além de ter um traço fantástico!! Ishida Sui entrou sem duvida para os meus mangakas preferidos, e com estas capas *lindas*

“If you were to write a story with me in the lead role, it would certainly be… a tragedy” 

Toda a gente diz que os humanos estão no topo da cadeia alimentar, mas sabe-se actualmente que isso não é verdade. Ghoul estão no topo porque eles alimentam-se apenas de humanos, é o seu único alimento, para além de café, sabe-se lá porquê.
Claro que o mundo sabe da sua existência, o que foi um ponto positivo na história, e por isso mesmo criaram o CCG, uma organização especializada no combate aos Ghoul e sua investigação, que não olham a meio para atingir fins no que toca a matança.
Mas nem tudo é assim tão malévolo, e tal como os humanos, nem todos os ghouls são maus. Especialmente os do café Anteiku, que está aberto ao público, e que querem apenas conviver no mundo e ter uma vida normal, obviamente que escondem o lado ghoul dos clientes, mas é só porque tem mesmo de ser.
Entre os que comem humanos livremente há uma rapariga que parece ter uma fome constante e que mata quase tantos humanos num dia que não se importa de deixar um rasto de mortes por onde passa.
Kaneki está apaixonado por esta rapariga, sem conhecer que ela é um ghoul, e ainda por cima lê os mesmo livros que ele. Mas não passa de uma armadilha e Kaneki só o percebe depois de a levar a casa, que fica num beco *claro* e lhe retira um órgão. No entanto e para felicidade de Kaneki *ou não* um monte de vigas cai sobre ela matando-a, ou assim parece. No entanto Kaneki é levado para o hospital e salvo com um transplante de orgãos, sim, sim da rapariga, o médico na altura e sem qualquer autorização faz-lo e cria algo que ninguém sabia ser possível.
Um meio-humano, meio-ghoul. O que é estranho, mas pelos vistos é possível. A vida de Kaneki dá então uma volta que ele não estava preparado. A comida não lhe sabe como de costume e é extremamente complicado ingerir seja o que for, até os hambúrgueres que ele tanto devorava não lhe passam da boca. Até ao dia que ia pela rua a noite e cheira-lhe a comidinha da mãe algo que não cheirava a muito tempo *porque os pais morreram* mas é um cheiro delicioso que ele segue-o com todas as forças… até achar um cadáver. *eu ri-me muito, coitado*
E fica então a conhecer Touka e o Manager, o velhote do café, que o ajudam *apesar de Touka ser contra* a sobreviver no mundo dos Ghoul. Segundo Touka, o mundo ou é de uns ou é de outros, não há espaço para metades * o que foi cruel*.
Mas Kaneki facilmente aprende a sobreviver, alimentar-se é que por vezes é um problema. E se perguntam o que é feito dos humanos para eles, é fácil basta saber onde é que se suicidam, pois há humanos que não tem tanto amor a vida e decidem acabar com ela.
Uma coisa especifica dos ghouls para além dos seus olhos é a Kagune, Kakugan ou a Quinque. Basicamente é algo que todos tem e que sai do corpo deles para os proteger ou atacar, é algo das células deles e que vai desenvolvendo conforme a força e melhora com a alimentação. Apesar do mangá não ter com ela é descrita como vermelha, o que faz sentido porque vem do corpo e tem ligações ao sangue. São flexíveis e controláveis pelo “dono” e podem tornar-se duras como o músculo. Claramente os Ghouls regeneram depressa, no entanto se estas feridas forem feitas por outro kagune irão demorar muito mais tempo. O que será normal porque a CCG quando captura ghoul não é para outra coisa além de lhes retirar o Kagune para uso próprio! *quem é cruel agora?* E depois há tantos tipos de Kagune e cada um especializado em alguma coisa.

“Strong people are such pitiable people. Always having to fight for the sake of someone else.”

A história *felizmente* não tem momentos mortos, desenvolve ao longo de 14 volumes sempre com algo novo e importante para a continuação.  Tal como a história principal, como as secundárias.
Kaneki torna-se forte e tem como desejo proteger todos aqueles que ama, especialmente quem não tem força para tal.
E no final fiquei um pouco surpresa porque é que ficou assim, o que me dá a entender que provavelmente Ishida vai fazer uma série nova sobre isto, eu estou mesmo a espera disso. Porque de outra forma não faz sentido.
Ah e eu queria um desenvolvimento para Touka e Kaneki *só porque sim hii*


Um post original de RaquelCollin
                                      


quarta-feira, 30 de dezembro de 2015

Cinema | Melhores filmes de 2015 | Menções honrosas | Guilty-pleasures

Sem comentários:

Os 5 melhores filmes de 2015


1. Inside out 
(traduzido de forma asquerosa como Divertidamente para PT... DISHONOR ON YOU, tradutores!)



Não há muito que explicar, conseguiu facilmente destronar o Wall-E e o UP dos meus filmes favoritos da PIXAR... scratch that, de sempre. Não é um filme para miúdos pequenos, não não vão mostrar ao vosso sobrinho de 3 anos e esperar que ele adore tanto quanto vocês, mas é do estilo do Toy Story 3. É um filme que entretêm os mais pequenos (6 anos para cima) e os adultos e por norma fico satisfeita quando um filme dá para toda a família ir ver. Para além disso acho que é dos poucos filmes este ano que passou uma mensagem boa para todas as idades: it's ok to be sad e a tristeza faz parte da nossa vida. É uma mensagem que muitas vezes não passamos às pessoas porque queremos sempre o melhor e o melhor para nós é estarmos felizes e se estamos tristes ficamos logo preocupados. Mas a verdade é que é impossível não ficarmos tristes muitas vezes e isso é saudável e bom!

Rotten tomatoes - 98%
IMDB - 8.3

2. Star Wars episode VII - The Force Awakens



Filme do ano... quase! Quando saíram os bilhetes e eu comprei em IMAX rezei a todos os santinhos do J.J. Abrams para que o raio do filme valesse os 20€!! Ai se não valeu! Meu deus, que aventura! Eu pensei que o filme ia ter intervalo e quando olhei para o relógio porque estávamos a entrar no ato IV é que notei que faltavam 30 minutos (+-) para o filme acabar!! Wait, já se passaram 1hora e meia?? Sabemos que é um filme muito bom quando nos lembramos de ir ver as horas para ver quando é o intervalo e o filme está quase a acabar! Adorei o BB-8 quero um! Tal como o Inside out, o filme passa algumas mensagens que não posso dizer senão SPOILZ, mas para quem viu sabe bem quais são. Tal como o Inside out, foi muito bom ver pais com os seus filhos pequenos a ver um filme que ambos iam adorar. Os pais nostálgicos por verem um filme de uma série que adoram e os filhos a terem o primeiro contacto com a série. 

Rotten tomatoes - 94%
IMDB - 8.6

3. Capitão Falcão



"Somos portugueses, não precisamos de plano!"
"Malditos comunas"
"Chamou, senhor Presidente?"
"Bolo de arroz?"
"Prefiro ser acusado de excesso de zelo do que de falta de patriotismo"
"LEITE? Eu queria dizer absinto! Uma jarra, por favor!"

Este deve ser o raio do filme mais quotable português de sempre! Ri-me até não poder mais, chorei, esbracejei... meu Deus! Como? Como é que isto é tão lindo? Como é que teve tão poucas pessoas a irem ver? Para terem noção o DVD saiu antes do Natal e esgotou! Andei à procura da 2º edição no outro dia e encontrei apenas um exemplar! UMINHO! Ainda bem, fico tão feliz porque prefiro mil vezes um Capitão Falcão à bostice que o Leonel Vieira anda a fazer. Capitãs de Abril ao estilo de Power rangers, o Capitão Falcão é tao over the top, tão exagerado que é impossível não o adorar e o script... ai o script é tão perfeito.
Se não puderam ver o filme no cinema, comprem o DVD!

Rotten tomatoes - -
IMDB - 7.4

4. The Martian



Sci-fi? Check
Piadas? Check
Protagonista altamente likable? Check, check!

Não esperava gostar tanto do Martian, mas acabei por adorar. O casting está spot on, a ciência pitch perfect (YOU HEAR THAT INTERSTELLAR?), a adaptação não posso falar porque não li o livro mas parece-me que está algo fiel (o quão fiel pode ir). Gostava que as personagens secundárias tivessem mais protagonismo (sim é a única crítica que tenho ao filme), tem demasiadas personagens e não tem um vilão o que é muito bom, mas não dá para nos apegarmos a muitas sem ser ao protagonista.

Rotten tomatoes - 93%
IMDB - 8.2

5. What we do in the shadows



Ao contrário do The Martian, esperava gostar mais do WEDITS. É um mockumentary e sim, concordo é o melhor filme de vampiros que temos na atualidade. Talvez porque toda a gente estava a dizer o quão funney era e ok, tem algumas piadas maaaaaas acho que é mais um: ohhh I see what you did there do que de rir.
Aliás achei partes do filme bastante dark e com muito terror! Quando vemos o Nosferatu nunca o vemos a atacar, aqui vemos ele a matar uma pessoa, aliás eles matam várias pessoas, e há uma cena tão triste onde um vampiro está prestes a matar uma mulher e pergunta o que é que ela vai fazer na vida e ela conta como quer ir para a faculdade, viajar, ver o mundo e nota-se pela cara do vampiro que ele fica tão desconfortável com ter de a matar mas sorri para a câmara porque está a ser filmado. Mas tem cenas muitoooo engraçadas quando discutem quem é que tem de lavar os pratos cheios de sangue ou quando o Viago está a lavar os dentes do Petyr cheios de sangue e ele na sua cripta, já velhinho.

É um muito bom filme, tem referências fantásticas e a caracterização do Petyr está spot on. Há uma cena tão linda, tão linda e tão aterradora em que a câmara está apontada para uma janela e só se vê a "shadow" do Petyr (um wink wink à cena do Nosferatu quando ele sobe as escadas em que só é preciso ver a sombra dele para sentir o terror da presença dele). A cena é estupidamente brilhante, até o Murnau teria dito: good job, guys!

Só gostava que as pessoas deixassem de dizer o quão engraçado o filme é, para dizerem o quão brilhante o filme é. O filme tem algumas piadas mas não é o forte dele. O forte é a imagem e as cenas sem diálogo.

Ah e o Stu é um gajo porreiro!

Rotten tomatoes - 97%
IMDB - 7.6

Menções honrosas:


1. Mad Max


O QUÊ? ESTE NÃO ESTÁ NOS MELHORES FILMES DO ANO??? Yahhhh, não. Eu gostei do filme, tal como o WEDINS gostei mais das cenas em que eles não falavam, tem algumas quotes giras, mas não sei, não consigo lembrar-me de muitas cenas do filme, aliás consigo fazer muito nitpicking com o raio do filme. De como tem tantas cenas "feministas" como depois tem basicamente 4 personagens que não fazem quase nada e not a good use of Tom Hardy. Não é um filme mau, mas não acho que seja um filme para toda a gente. Yah é giro, tem efeitos badasses, três personagens fixes, but that's it... o Imortan Joe é bem mais ameaçador na sua imagem do que nas acções. Everything looks cool and stuff, mas quando saí do cinema lembro-me de ter dito: espero que o SW e o Inside out kick ass porque eu não quero que isto seja o melhor filme do ano! God is listening, guys!

Rotten tomatoes - 97%
IMDB - 8.2

2. The man from UNCLE



Todas as minhas fantasias homo-eróticas foram ouvidas e realizadas! "This is not the Russian way", ai filho, mostra-me o Russian way então! Foi um filme visto entre amigos para avacalhoar, mas juro que sentia as minhas entranhas a derreterem sempre que via os dois no ecrã... só me apetecia dizer: Now kiss! E juntar aquelas duas cabeças. Escusado será dizer que já acompanho diversas fanfics gays do filme na net... ahem...

Rotten tomatoes - 67%
IMDB - 7.4

3. Kingmans: at your majesty service



Pensei que isto tinha saído no ano anterior, mas afinal foi este... bom o filme tem o Colin Firth com a sua imensa classe e algumas cenas de acção muito muito boas (penso que a cena da igreja entrou nas cenas mais unforgetable de 2015) and I agree, tem momentos de humor, acção mas também tem alguns clichés de filmes de espiões. É um filme de pipoca, mas um bom filme de pipoca.


Rotten tomatoes - 74%
IMDB - 7.8

4. Ant-man


Ant-man is COOL! Isto foi como o SW, podia ter dado para o torto e a MARVEL teria começado a afundar-se, mas não! O casting foi bem feito, as sequências de acção também estavam muito boas e good use of Michael Douglas. Tentou fazer menos que o Avengers: Age of Ultron e acho que ainda bem. Also best side-kicks ever! As personagens secundárias fizeram este filme tão melhor. Pena é que o vilão seja meh... Aliás se notarem a minha lista de top 5 só um é que tem um vilão definido e estes 4 todos têm um vilão que aparece... talvez seja esse o problema. Vilões are overrated!

Rotten tomatoes - 80%
IMDB - 7.5

Filmes que todos odiaram mas que adorei


1. Chappie



Rai's parta o robot que é super fofo! Há duas cenas que nos deixam a chorar. Surpreendeu-me as pessoas não terem gostado mais do filme. Acho que é dos poucos que merecia bem mais praise do que aquele que teve.

Rotten tomatoes - 31%
IMDB - 6.9

2. Jupiter Ascending



It's a pretty film com uma prestação super over the top do Eddie... I CREAAAATE LIFE... and I destroy it! Eu mijo-me a rir sempre que vejo aquela cena! Byotiful Ah e abs do Tatum, also! I am a simple woman. Não, não é um filme bom mas bolas também não é pior que um Transformer! 5.4 no IMDB pff.... Tudo bem que os Wachowski têm mais credibilidade que o Bay mas come on guys! Este filme é bonito, tem um worldbuild bom. Yeah sure a plot é meia mnheeee e sim é filme de acção para gajas mas ao menos o worldbuild é bom e tem cenas com cenários fantásticos... e não é racista... nem nos deixa desconfortáveis com leis tiradas do rego... I'm looking at you, Bay!!

Rotten tomatoes - 26%
IMDB - 5.4

terça-feira, 29 de dezembro de 2015

Cinema | Estreias da semana

Sem comentários:

Para ver Trailer TOQUE na Imagem
45 Anos

M12
Título Original: 45 Years
Realizador: Andrew Haigh
Com: Charlotte Rampling, Tom Courtenay, Geraldine James
Género: Drama
País: Afeganistão/GB
Ano: 2015
Duração: 95 min.

Sinopse:
Falta apenas uma semana para o 45º aniversário de casamento de Kate Mercer e o planeamento da festa está a correr bem. Mas entretanto chega uma carta para o seu marido. O cadáver do seu primeiro amor foi descoberto, congelado e conservado nos glaciares gelados dos Alpes Suíços. Quando chega a altura de celebrar o aniversário de casamento, cinco dias mais tarde, talvez já não haja casamento para festejar...

Para ver Trailer TOQUE na Imagem
A Rapariga Dinamarquesa

M12
Título Original: The Danish Girl
Realizador: Tom Hooper
Com: Alicia Vikander, Eddie Redmayne, Tusse Silberg
Género: Drama
País: EUA/GB/ALE
Ano: 2015
Duração: 120 min.

Sinopse:
Marcante história de amor inspirada na vida das artistas Einar Wegener/Lili Elbe e Gerda Wegener. O casamento e trabalho de Lili e Gerda progride, enquanto navegam pela arrebatadora viagem da pioneira transgénero.



Para ver Trailer TOQUE na Imagem
Creed: O Legado de Rocky

M12
Título Original: Creed
Realizador: Ryan Coogler
Com: Michael B. Jordan, Sylvester Stallone, Tessa Thompson
Género: Drama
País: EUA
Ano: 2015
Duração: 132 min.

Sinopse:
Adonis Johnson (Michael B. Jordan) nunca conheceu o seu famoso pai, o campeão mundial de pesos pesados Apollo Creed, que morreu antes de ele nascer. Ainda assim, é inegável que o boxe lhe corre no sangue e Adonis dirige-se para a Filadélfia, o local do lendário combate entre Apollo Creed e um novato resistente chamado Rocky Balboa. Chegado à “Cidade do Amor Fraternal”, Adonis localiza Rocky (Sylvester Stallone) e pede-lhe que seja seu treinador. Apesar de insistir que largou o boxe para sempre, Rocky vê em Adonis a força e a determinação que conhecera em Apollo, o rival feroz que se tornou o seu amigo mais próximo. Rocky acede ao pedido e treina o jovem pugilista, apesar de o ex-campeão estar prestes a encontrar um adversário mais letal do que qualquer um que tenha enfrentado no ringue.Com Rocky a treiná-lo, depressa Adonis tem a sua possibilidade de ganhar o título... mas conseguirá ele desenvolver não só a motivação, mas também a garra de um verdadeiro lutador, a tempo de subir ao ringue?

Para ver Trailer TOQUE na Imagem
Diário de Uma Criada de Quarto

M12
Título Original: Journal d'une femme de chambre
Realizador: Benoît Jacquot
Com: Léa Seydoux, Vincent Lindon, Clotilde Mollet
Género: Drama
País: França
Ano: 2015
Duração: 96 min.

Sinopse:
Célestine é uma jovem criada de quarto cortejada pela sua beleza que acaba de chegar à provincia, vinda de Paris, para trabalhar com a familia Lanlaire. Vai evitando os avanços patrão, tem também de lidar com a Senhora Lanlaire, que governa a casa com um punho de ferro. É então que conhece Joseph, um misterioso jardineiro, por quem fica fascinada.


Para ver Trailer TOQUE na Imagem 
Solace: Premonições

M12
Título Original: Solace
Realizador: Afonso Poyart
Com: Jeffrey Dean Morgan, Colin Farrell, Anthony Hopkins
Género: Thriller
País: EUA
Ano: 2015
Duração: 101 min.

Sinopse:
O agente do FBI Joe Merriwether e a sua jovem colega Katherine Cowles decidem pedir ajuda ao reclusivo psíquico Dr. John Clancy na investigação de uma série de bizarros homicídios. As excecionais capacidades intuitivas de Clancy, que surgem sob a forma de intensas e pertubadoras visões, colocam-no no rasto de um suspeito...

segunda-feira, 28 de dezembro de 2015

Novidades Infantojuvenis da semana de 2 a 9 de Janeiro

Sem comentários:
Nas livrarias a 4 de Janeiro

Nas livrarias a 6 de Janeiro
  
 

Nas livrarias a 7 de Janeiro
  

Novidades da semana de 2 a 9 de Janeiro

Sem comentários:

Nas livrarias a 4 de Janeiro
Reedição

Nas livrarias a 6 de Janeiro
   

Nas livrarias a 7 de Janeiro
   

terça-feira, 22 de dezembro de 2015

Cinema | Star Wars Episode VII: The Force awakens | Review

Sem comentários:


Pronto agora que já vos dei mais um dia para verem o Star Wars... Não foi awesome? Aquela emoção de quando aparee: In a galaxy far far away e de um momento para o outro nos apercebemos que shit is real! E depois aparece o texto tradicional a dar a premissa, mas já não é gravado como na trilogia original e agora é tudo feito em computadores. Esta review não é nada fácil de escrever, eu estou em pânico de sem querer dizer um spoiler e depois ter de me auto-flagelar, because you shall not spoil! 

Bom isto tudo para dizer que:
A)esta review é um bocado difícil de escrever porque omg spoilerz
B)O filme é awesome se têm medo de spoilers, stop nau e ide ver o filme. 



Come back later, we will wait... Isto não vai ser uma critica de uma fã louca de Star Wars. Confesso que gosto bem mais do fenómeno e das ideias do que propriamente dos filmes. Eles sempre tiveram uns quantos problemas na minha opinião: os originais, apesar de inovadores para a época, nota-se agora que não envelheceram muito bem; e as prequelas são chatas. Têm coisas boas como tecnologia superior, mas urgh é simplesmente demasiada backstory que não interessa e que podia ter sido só um filme. Por isso, sim eu reservei o bilhete com zero espectativas. Eu sabia que tanto podia ser muito mau, como muito bom. Algo dentro de mim dizia que por muito mau que fosse ia valer a pena ver em IMAX nem que fosse pelos cenários muito bonitos. Por isso não esperem que eu ache que o SW can do no wrong. Consegue... Mas neste filme, nem por isso.Enquanto esperamos que os moços vejam o filme vamos aos tópicos.

A história/guião:

É quase perfeito. De alguma forma é muito similar ao Mad Max: Fury road no aspecto em que tem muitos episódios seguidos que mal deixa o espectador respirar. Lembro-me que quando acabou uma sequência até eu estava cansada e não tinha sido eu a correr que nem uma desalmada. A história é um bom balanço entre acção: pew pew pew e tem uma hint das prequelas. Nota-se que o J.J. quis agradar aos fãs mais hardcore mas também àqueles que gostaram das prequelas (talvez o espectador mainstream?)

- Ai Ruiva, que horror mas o filme é tão comercial tão sem sem mensagens....

Olá sr. Rabujento, já não o via aqui por uns tempos... Bom eu não acho que o filme seja oco ou vazio. Á primeira vista pode parecer que sim, mas na verdade existem vários tópicos interessantes para serem debatidos lá para Janeiro (sim que é quando toda a gente já viu o filme de certeza). Para já não posso entrar muito em detalhes mas o filme tem pequenas coisas para as pessoas mais atentas estarem a decifrar aos poucos. O SW sempre foi filme de pipoca, as prequelas lá tentaram dar um ar mais sério e político, mas a verdade é que queremos ver lutas com lightsabers, tirinhos em naves, nós não vemos SW para filosofar sobre o ser humano na sua eterna complexidade. Gostamos de ver o Dark side contra a Luz e a Força a ser usada e como muitas vezes as coisas correm mal (Anakin).

O Lado Negro da Força:

Hitler called... He wants to join the Dark Side. A Primeira Ordem mete medo. E isto é Disney por isso acreditem que mesmo sem mostrar gore, o espetador fica com medo. Os Stormtroopers ficaram com uma pontaria mesmo boa de um momento para o outro e acreditem eles usam essa pontaria para serem aterradores. A nível visual há cenas muito boas, não é preciso explicar muito, basta mostrarem um pouco na altura certa que cria o efeito pretendido.



Personagens:

It comes to no surprise que o BB-8 é o meu favorito. Eu senti partes de mim a derreterem sempre que o BB-8 entrava em cena e eu nem sei se ele é uma personagem principal! Mas que ele roubava o show, roubava. Todas as personagens estão perfeitas, o casting foi perfeito, especialmente o da Lupita. Ela deu voz a uma personagem e está muito, muito bom. 
O John Boyega (Finn) também deu uma nova vida com muito humor e a Daisy Ridley conseguiu ser a little bit too perfect. Eles comandam uma nave e nota-se tanto que ela é a personagem principal porque faz sempre tudo tão bem! Pessoalmente preferia que ela fosse um bocado mais humana e só uma moça que desse grandes coças. Quando ela começa a ser uma know-it-all de naves, ehhhh... She looked fine. Mas eu entendo que nestes filmes as personagens principais sejam sempre muito boas. Ela não é uma Mary Sue, apesar de saber imenso e ser muito badass, é muito natural. As interacções dela e do Finn com o BB-8 tiram imensas gargalhadas.
O Han Solo é o Han Solo que sempre conhecemos, o Chewie está especialmente fofo e mesmo a Leia apesar de ter um tempo meio curtinho no ecrã esteve bem. Não houve nenhum actor que eu achasse que estava mal casted, mas nada supera o BB-8. Tal como com o Wall-E, ele é simplesmente too cute só com animação, nem é preciso diálogo (ele manda uns beeps eu sei, mas eu não falo droidês, mas falo Nerglish, querem ver? Grgrlgrlrgrl!)

O vilão:

Ai Kylo Ren... Kylo Ren... Eu até tinha fantasias sobre ti. Mas foi um dos motivos pelo qual eu dei menos meia estrela... Ele parece tão awesome, tão “join the dark side with me and we will rule the galaxy together” e a gente abandona tudo porque com aquela voz e aquela máscara, que se lixe o lado da luz, kidnap me, Kylo Ren! Nota-se que é um vilão in training. Ainda não é um Darth Vader, maaas como eu sou fofinha estou com muitas esperanças que ele cresça para ser um vilão muito mauzinho e terrível. Ok, Star wars, I'll bite, you can have all my money!

Os spoilers:

É óbvio que não vou spoilar mas digo apenas que há dois major spoilers neste filme e um é estupidamente huge. Não há muitas reviravoltas, o que é sempre bom porque para ser honesta, twists são bons mas quando bem feitos. O J.J. Nunca tentou fazer: ahaha com que então não estavas à espera desta! E nós todos com cara de: rly, J.J? Achas mesmo que nós não estávamos a prever? Mas fez algo tão “mais pior” que é quando nós sabemos que algo vai acontecer, e acção pára só para criar aquela espectativa dentro de nós de que: ok isto vai acontecer, oh God eu não quero ver... Afundo-me na cadeira com a cara virada para o lado porque não quero ver! Oh God.. Any minute now... And there, it happened... WHY? 



Veredito final:

É um dos melhores filmes do ano, certamente fica em 2º lugar na minha só não é ultrapassado pelo Inside out porque er.. Pixar? Mas sem dúvida que é um grande filme, que faz tudo aquilo que os fãs queriam: entreter com todo o eye candy da saga e ainda dar um novo folgo à historia que estava na lama. Esse e o Mad Max foram dois filmes de franchises que estavam mortos, falecidos e de repente seguindo a mesma estrutura de acção sem parar conseguiram cativar os espectadores para quererem mais. É quase impossível não gostar do SW:TFA, nem que seja pela nostalgia dos primeiros filmes: as lutas de lightsabers e a história toda em volta daquela família, o lado da luz contra as trevas... Não é groundbreaking? Não, não inova não faz nada de Oh meu Deus, nunca pensei nisto! Mas isso não quer dizer que não funcione ou que seja menos bom.Agora, ide, may the Force be with you, que hoje é terça e todos precisamos de um bocadinho de força extra para aturar as compras de Natal!


Cinema | Estreias da semana

Sem comentários:

Para ver Trailer TOQUE na Imagem
Amor Impossível

M12
Título Original: Amor Impossível
Realizador: António-Pedro Vasconcelos
Com: Victória Guerra, Ricardo Pereira, Soraia Chaves
Género: Drama
País: Portugal
Ano: 2015

Sinopse:
Ao seguir as pistas que antecederam o misterioso desaparecimento de Cristina, o filme desenvolve-se entre duas narrativas paralelas: a de Cristina, uma jovem que busca um amor total e sem limites, e a de Madalena, que no decorrer da investigação é confrontada com as insuficiências da sua própria relação.




Para ver Trailer TOQUE na Imagem
Coração de Cão

M12
Título Original: Heart of a Dog
Realizador: Laurie Anderson
Género: Documentário
País: FRA/EUA
Ano: 2015
Duração: 75 min.

Sinopse:
A partir da sua própria experiência e das suas memórias de vida recente, marcada pelas perdas recentes da sua mãe e do marido Lou Reed, a realizadora Laurie Anderson traça uma pequena reflexão sobre temas como a vida e a morte.




Para ver Trailer TOQUE na Imagem
Snoopy e Charlie Brown: Peanuts - O Fime

M12
Título Original: The Peanuts Movie
Realizador: Steve Martino
Com: Noah Schnapp (Voz), Bill Melendez (Voz), Hadley Belle Miller (Voz)
Género: Animação
País: EUA
Ano: 2015
Duração: 88 min.

Sinopse:
Charlie Brown, Snoopy, Lucy, Linus e o restante gang dos “Peanuts” fazem a sua estreia no grande ecrã, numa animação 3D como nunca antes vista. Snoopy, o beagle mais adorável do mundo – e da aviação – embarca na sua maior missão e vai até aos céus perseguir o seu maior inimigo, O Barão Vermelho, enquanto o seu melhor amigo, Charlie Brown, começa a sua própria jornada épica.


Só Podiam Ser Irmãs

M12
Título Original: Sisters
Realizador: Jason Moore
Com: Amy Poehler, Heather Matarazzo, John Cena, Tina Fey, Madison Davenport, Maya Rudolph
Género: Comédia
País: EUA
Ano: 2015
Duração: 118 min.



Para ver Trailer TOQUE na Imagem
Um Presente do Passado

M12
Título Original: The Gift
Realizador: Joel Edgerton
Com: Jason Bateman, Rebecca Hall, Joel Edgerton
Género: Thriller
País: Austrália/EUA
Ano: 2015
Duração: 108 min.

Sinopse:
Simon e Robyn são um jovem casal cuja vida corre como planeado, até que Simon encontra casualmente um antigo colega do liceu, e esse acontecimento vai transformar o mundo deste casal num caos angustiante. Ao início, Simon não reconhece Gordo, mas quando uma série de misteriosos encontros indesejados entre eles assumem uma dimensão preocupante, um segredo horrível do passado de Simon acaba por emergir após mais de 20 anos escondido. Quando Robyn descobre a verdade inquietante sobre o que aconteceu entre Simon e Gordo, começa a questionar-se sobre quão bem conhece o marido e as pessoas mais próximas.