Crónicas de uma Leitora: Literatura | Marcado na pele de Anne Bishop | Opinião

segunda-feira, 9 de outubro de 2017

Literatura | Marcado na pele de Anne Bishop | Opinião

Durante séculos, os Outros e os humanos viveram lado a lado numa paz precária. Mas quando a Humanidade ultrapassa os seus limites, os Outros terão de decidir o que estão dispostos a tolerar.
Desde que os Outros se aliaram às Cassandra Sangue, os frágeis mas poderosos profetas humanos que estavam a ser explorados pela sua própria espécie, tudo se transformou na relação entre humanos e os Outros. Alguns como Simon Wolfgard, metamorfo e líder, e a profetisa Meg Corbyn, encaram a nova parceria como vantajosa.

Mas nem todos estão convencidos. Um grupo de humanos radicais procura usurpar terras através de uma série de ataques violentos contra os Outros. Mal sabem eles que existem forças mais perigosas e antigas que vampiros e metamorfos e que estão dispostas a fazer o que for necessário para proteger o que lhes pertence…

Desde que entrei nestas andanças de blogues literários que ouvia falar de Anne Bishop e como nunca me tinha aventurado em fantasia épica achava que era um género que não combinava comigo então nunca me suscitou interesse (acabei por perceber que afinal até gosto bastante do género). Quando soube que a autora ia lançar esta série de fantasia urbana pensei que era uma excelente oportunidade de perceber quem era afinal Anne Bishop que toda a gente falava tanto. O sentimento que ficou foi de profunda desilusão comigo mesma por ter demorado tanto tempo a descobrir uma autora com esta excelência. Esta é uma das séries que mais me empolga actualmente, estou completamente viciada e apaixonada pelos Outros.

Aquilo que Anne Bishop soube afirmar desde o primeiro momento foi que estes seres sobrenaturais não eram de forma nenhuma aquilo a que estávamos habituados em outros livros do género, nada de romances fofinhos e sexo desenfreado, nada mesmo.

Neste quarto livro temos uma tensão constante e crescente entre os Outros e os humanos, nomeadamente os membros dos SHPL mesmo com a acção se desenrolando lentamente. A sede de poder, a ganância e o facto de acharem possuir alguma invencibilidade leva a que os humanos ataquem Outros nos seus territórios levando a que os Anciães fiquem cada vez mais atentos e revoltados com as chacinas perpetradas contra os Lobos e outras formas de terra indigene.

Temos uma presença mais assídua de Hope a jovem cassandra sangue que vê as profecias desenhando mas infelizmente vemos menos de Tess uma das minhas terra indigene favoritas. O relacionamento entre Simon e Meg é cada vez mais íntimo mesmo que ambos se considerem apenas amigos, julgo que conseguimos perceber que há cada vez mais cumplicidade entre ambos. Vemos entrar aqui alguns terra indigene muito interessantes como Alantea.

É um livro que vai "cozinhando" a história em "banho maria" e apesar de andar tudo lentamente é constante e há sempre coisas a acontecer, Anne Bishop dá-nos todos os detalhes não deixando nada por contar e transportando-nos de cidade em cidade para nos fazer perceber o que cada comunidade faz e como reagem aos acontecimentos. Mal posso esperar para continuar a seguir esta história.


Exemplar gentilmente cedido pela Edições Saída de Emergência

Sem comentários:

Enviar um comentário