Crónicas de uma Leitora: Série | The Umbrella Academy | Netflix

terça-feira, 12 de março de 2019

Série | The Umbrella Academy | Netflix



The Umbrella Academy é uma série de comics escrita por Gerard Way (My Chemical Romance) e ilustrada por Gabriel Bá. O enredo acompanha um grupo de crianças dotadas de super-poderes, que foram adotadas por um milionário e criadas como super-heróis.

Quando me apareceu nas sugestões da Netflix não sabia bem o que esperar, vi o trailer e como estava a fazer uma pausa nas séries para me dedicar às leituras decidi ver o primeiro episódio, afinal com um total de 10 episódios não demoraria muito até a ver toda. E assim foi, de facto demorei dois dias a ver tudo e a ficar a "chorar" por mais, 10 episódios de The Umbrella Academy não é definitivamente o suficiente. 

O conceito é muito interessante, um milionário excêntrico adopta sete bebés que nasceram no mesmo dia em circunstâncias extraordinárias (nenhuma das mães estava grávida quando o dia começou) porém em vez de cuidar deles explorou o seu potencial poder para combaterem o mal.

Estamos perante uma verdadeira lufada de ar fresco no meio de tantas séries e filmes de super heróis, somos apresentados a um mundo onde nunca sabemos muito bem o que poderá vir a acontecer pois o inesperado é o normal. Uma das primeiras coisas que sabemos é que nascem 43 bebés nestas circunstâncias (sendo 7 adoptados pelo mesmo homem, fiquei a interrogar-me o que teria acontecido aos restantes 36 e se teriam igualmente super poderes). Nunca ficou muito claro quem era o tal milionário, apesar de num dos episódios termos maior percepção de onde ele vem e o que ele é, fica em aberto a história dele. A sua necessidade de adoptar as crianças é explicada unicamente pela necessidade de combater o crime, como se esperasse que no futuro algo acontecesse.

Ao longo da série vamos conhecer melhor estes irmãos e a sua relação com o pai e outros habitantes da mansão/academia não só através da ação presente mas principalmente de analepses que acabam por ser fundamentais para o desenrolar da trama. Os nossos protagonistas crescem a serem chamados pelo pai não por nomes mas por números, por ordem daquilo que o mesmo considerava a sua importância para o objectivo pretendido. Não vemos qualquer tipo de emoção ou carinho da parte deste pai, apenas que era rigoroso em relação ao treino dos miúdos, aparecendo depois a "mãe".

Com um elenco fabuloso os episódios são repletos de ação, com muitas mortes à mistura, mas têm uma dose elevada de drama familiar e ainda muito humor, tudo na dose perfeita que agarra o espectador. Acho que ficaram muitas pontas soltas, muita coisa por explicar e espero que possamos numa próxima temporada ver mais ainda do que temos até agora.

O final é extraordinário, eu já sabia mais ou menos o que aconteceria pois numa breve pesquisa sobre a série acabei por ler alguns spoilers mas não tirou a espectacularidade do que acontece. Espero ansiosamente por uma segunda temporada.

2 comentários: